Becket, o Favorito do Rei (1964) é um clássico do cinema que retrata a vida de Thomas Becket, um cristão devoto que se torna o arcebispo de Canterbury. Interpretado pelo talentoso ator Richard Burton, Becket ascende à posição religiosa mais elevada do país, o que coloca em questão sua fidelidade ao rei Henrique II, interpretado por Peter O'Toole.

O filme se passa na Inglaterra do século XII, em um momento de transição política e social. O rei Henrique II, um governante autoritário e ambicioso, precisa conquistar o apoio da Igreja para atingir seus objetivos. Para isso, escolhe Becket, seu antigo amigo e confidente, para se tornar o novo arcebispo. Porém, à medida que Becket assume suas novas funções, começa a agir em desacordo com a vontade do rei, o que gera uma tensão crescente entre os dois.

A trama se desenvolve em torno da relação complicada entre Becket e Henrique, que passam de amigos inseparáveis a adversários políticos e religiosos. Becket defende a independência da Igreja em relação ao poder secular, enquanto o rei quer controlar todas as esferas da vida pública e privada. A tensão entre eles aumenta gradativamente até que Becket é excomungado pelo Papa por desobedecer às ordens do rei, o que o leva a um final trágico.

Além dos protagonistas, o filme apresenta outros personagens históricos importantes, como a rainha Eleanor de Aquitânia, interpretada por Audrey Hepburn, e o bispo de Winchester, interpretado por John Gielgud. Esses personagens transmitem uma visão multifacetada da sociedade medieval inglesa, mostrando suas intrigas políticas, rivalidades religiosas e conflitos sociais.

Becket, o Favorito do Rei é um filme que tem grande valor histórico e cultural, pois retrata um momento crucial da história da Inglaterra medieval. A trama do filme é baseada em fatos reais, e muitos dos personagens são figuras históricas importantes. O filme mostra que mesmo os laços mais fortes de amizade podem ser quebrados em nome do poder e da lealdade.

Em suma, Becket, o Favorito do Rei é um filme que vale a pena ser assistido por quem se interessa pela história da Idade Média e pelas complexas relações entre poder e religião. Seu enredo emocionante e seus personagens cativantes fazem deste filme uma das obras-primas do cinema histórico.